segunda-feira, 29 de outubro de 2012


PMERJ – BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária)

Compete ao BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária) executar o Policiamento Ostensivo de Trânsito Rodoviário no Estado do Rio de Janeiro, nas rodovias sob jurisdição do DER-RJ. Este policiamento é realizado através dos Postos de Policiamento Rodoviário (PPRv) localizados em pontos estratégicos das rodovias.

O BPRv tem sua sede localizada na Rua Mackenzie, Nº100 no Fonseca em Niterói – RJ.

A estrutura do Batalhão é dividida em 4 Companhias de Policiamento conforme descritas a seguir :

  • 1ª CIA - Região dos Lagos

SEDE da CIA: Iguaba > Responsável pelo policiamento das rodovias situadas em parte da Região Metropolitana e Região dos Lagos. As Rodovias patrulhadas por esta Companhia atravessam 14 (quatorze) municípios, sendo estes: Araruama, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios, Cabo Frio, Casemiro de Abreu, Iguaba Grande, Itaboraí, Maricá, Niterói, Rio Bonito, São Gonçalo, Saquarema, São Pedro da Aldeia, Silva Jardim.

Posto 01: Tribobó - São Gonçalo
Posto 03: Serra de Mato Grosso - Maricá 
Posto 04: Iguaba Grande
Posto 05: Barra de São João
Posto 06: Rio Bonito
Posto 09: São Pedro da Aldeia
Posto 11: Araruama
Posto 14: Arraial do Cabo
Posto 20: Parque dos Tubos - Rio das Ostras


  • 2ª CIA - Região Serrana

SEDE da CIA: Cachoeiras de Macacú > Responsável pelo policiamento das rodovias que atendem à Região Serrana. As Rodovias patrulhadas por esta Companhia atravessam 26 (vinte e seis)  municípios: Aperibé, Bom Jardim, Cambuci, Cachoeiras de Macacú, Cantagalo, Carmo, Cordeiro, Conceição de Macabu, Duas Barras, Itaocara, Guapimirim, Itaboraí, Itaocara, Macuco, Miracema, Nova Friburgo, Petrópolis, São Sebastião do Alto, Santa Maria Madalena, São José do Vale do Rio Preto, Santo Antônio de Pádua, Sapucaia, São Fidélis, Sumidouro, Teresópolis, Trajano de Moraes.

Posto 02: Cachoeira de Macacú
Posto 10: Conquista
Posto 16: Teodoro de Oliveira - Nova Friburgo
Posto 17: Balança – Bom Jardim


  • 3ª CIA - Região Sul Fluminense

SEDE da CIA: Seropédica > Responsável pelo policiamento das rodovias situadas em parte da Região Metropolitana, Sul do Estado e a Região do Médio Paraíba. As rodovias patrulhadas por esta Companhia atravessam 30 (trinta) municípios, sendo estes: Angra dos Reis, Barra do Piraí, Barra Mansa, Belford Roxo, Comendador Levi Gasparian, Duque de Caxias, Engenheiro Paulo de Frontin, Itaguaí, Itatiaia, Japeri, Mangaratiba, Mendes, Miguel Pereira, Nilópolis, Nova Iguaçu, Paraty, Piraí, Paty do Alferes, Paracambi, Paraíba do Sul, Quatis, Queimados, Resende, Rio Claro, Rio das Flores, São João de Meriti, Seropédica, Volta Redonda, Vassouras, Valença.

Posto 07: Lídice - Rio Claro
Posto 08: Arcádia - Miguel Pereira
Posto 21: Piranema - Seropédica
Posto 22: Rosa Machado – Piraí
Posto 24: Paracambi
Posto 25: Engenheiro Paulo de Frontin


  • 4ª CIA - Região Norte Fluminense

SEDE da CIA: Campos dos Goytacazes > Responsável pelo policiamento das rodovias situadas na  Região Norte e Região Noroeste Fluminense. As Rodovias patrulhadas por esta Companhia atravessam 21 (vinte e um) municípios: Bom Jesus do Itabapoana, Carapebus, Campos dos Goytacazes, Cambuci, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriaé, Macaé, Miracema, natividade, Porciúncula, Quissamã, Rio das Ostras, São Fidélis, Santo Antonio de Pádua, São Sebastião do alto, São Francisco do Itabapoana, São José do Ubá e Varre-Sai.

Posto 12: Parque Imperial - Campos
Posto 13: Ponto de Pergunta / Itaocara
Posto 15: Imburi -São Francisco de Itabapoana
Posto 18: Fazenda Batalha – Itaperuna


Matéria formatada pelo Boletim de Ocorrência ®
Fonte da Matéria: Site do BPRv - PMERJ - Clique Aqui

segunda-feira, 22 de outubro de 2012


DEFESA CIVIL RJ – Centro Estadual de Administração de Desastres (CEstAD)

Inaugurado no dia 12 de julho de 2007 com novas instalações para dar suporte às atividades de Defesa Civil durante os Jogos Pan-Americanos, o Centro Estadual de Administração de Desastres (CEstAD), localizado na Praça da Bandeira (RJ), opera  em regime de 24 horas, utilizando a metodologia do sistema ICS (Sistema de Comando de Incidentes), que permite a participação de múltiplas agências de forma integrada para atender a grandes eventos em qualquer parte do Estado. 

O CEstAD tem 18 computadores, dois projetores e quatro aparelhos de TV, além de uma estação meteorológica móvel e quatro detectores de gases.

No CEstAD, todas as informações reunidas pela Defesa Civil RJ nos últimos anos alimentam um banco de dados informatizado, que ajuda no trabalho de prevenção. É possível, por exemplo, ver na tela as regiões do Estado do RJ onde ocorrem sistematicamente enchentes e deslizamentos de terra, com números, datas e o que mais estiver arquivado. 

Os computadores também armazenam mapas cartográficos de todo o Rio de Janeiro que podem ser sobrepostos às imagens enviadas pelos agentes de campo, a fim de avaliar a extensão de um dano. O CEstAD também atua na capacitação de seus profissionais e representantes de outras instituições para a gestão de informações. 

Nas dependências do CEstAD já funcionou, entre outros, o controle de todas as operações de segurança dos Jogos Pan-Americanos, a coordenação das equipes do CBMERJ para o combate às larvas do mosquito transmissor da dengue, o Plano de Prevenção e Controle de Incêndios Florestais no Estado do Rio de Janeiro e o Centro de Coordenação de Emergência contra a gripe A H1N1, epidemia mundial cujo combate no Rio de Janeiro resultou em uma ação conjunta dos governos estadual, municipal e federal.

Esta matéria é uma homenagem do Boletim de Ocorrência ao Major BM Gil Kempers, diretor do CEstAD, nosso amigo, parceiro e colaborador.

Contatos do CEstAD pelo Twitter:  @CEstAD  /  @Gil_Kempers


Fonte da Matéria:  CBMERJ - Revista “Avante Bombeiro” > Clique aqui para visitar o site CBMERJ

segunda-feira, 15 de outubro de 2012


COMO SE PREVENIR DO GOLPE DO FALSO SEQUESTRO


O golpe do “Falso Sequestro” surgiu aplicado por presidiários com o objetivo de inserir créditos em celulares pré-pagos que portam dentro das cadeias, porém, com o sucesso dos primeiros golpes os marginais passaram a lucrar com essa prática criminosa.


Esse crime ganhou o uso de vozes de pessoas ao fundo, gritando e chorando, simulando um sequestro onde o SUPOSTO "refém" pede socorro desesperadamente. 


A vítima que está ao telefone com o marginal não deve passar nenhuma informação que possa ajudar o criminoso a dar mais veracidade à história. Os criminosos ficam sempre à espera de que a vítima diga o nome de algum filho ou parente para fazer uso dessa informação.


Frequentemente as vítimas são pessoas idosas que ficam nervosas e acabam fazendo o “jogo” do criminoso.


No momento do anúncio do falso sequestro a vítima deve manter a calma e a tranqüilidade e jamais passar qualquer informação que possa ajudar o criminoso.
Na maior parte das ocorrências os telefones utilizados tem prefixo com DDD 11 (São Paulo), 21 (Rio de Janeiro) e  85 (Ceará). É fundamental que se preste atenção nesses prefixos. 


Para o desvendamento dessa modalidade criminosa, a contribuição do cidadão é fundamental pois há muita dificuldade por parte da Polícia em atuar contra o falso sequestro, pelo fato das vítimas não terem costume de registrar a ocorrência, muitas vezes por medo. 


  • Dicas para não se tornar vítima desse golpe:


1) Atenção aos telefones com prefixo 11 (São Paulo), 21 (Rio de Janeiro) e 85 (Ceará).

2) Mantenha a calma, não demonstre desespero ou descontrole emocional.

3) Não passe nenhuma informação que ajude o criminoso a dar mais veracidade ao golpe.

4) De alguma forma, tente fazer contato com a pessoa que sofreu o SUPOSTO sequestro através de algum outro telefone.

5) Procure ter no telefone de casa ou do trabalho um identificador de chamadas.

6) Não receba ligações a cobrar de telefones desconhecidos.

7) Oriente familiares idosos, pois eles são as maiores vítimas dos criminosos.



Utilidade Pública do Boletim de Ocorrência te ajudando a não cair em golpes.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012


Helicóptero da Polícia Civil do Rio de Janeiro conta com super câmera

As operações policiais no Rio de Janeiro passaram a contar com um helicóptero com uma super câmera que se tornou essencial para flagrar a movimentação de bandidos durante o dia e até mesmo à noite.
 Um dos meliantes mais perigosos do crime carioca, Márcio José Sabino (Matemático) foi cercado e morto durante ação certeira que durou apenas 4 minutos onde o helicóptero dotado da super câmera foi fundamental.

O ÁGUIA 2 é um helicóptero modelo Esquilo onde na parte frontal inferior fica acoplada a câmera que pesa 45 quilos e tem apenas 40 centímetros de largura mas permite enxergar o alvo com total nitidez a 3000 pés de altitude (aproximadamente 1 Km) seja na claridade do dia ou na escuridão da noite. 
A tecnologia desta super câmera permite visualizar objetos e pessoas no escuro com tanta distância do alvo que o barulho do helicóptero não chega nem a ser ouvido por quem está sendo observado. A uma distância de 32 Km o policial que visualiza o equipamento pode distinguir pessoas de outros objetos e a 3 Km de distância a imagem de um rosto produzida pelo equipamento torna perfeitamente possível a identificação da pessoa.

Os sensores da câmera captam raios infravermelhos emitidos pelo calor de corpos e objetos e os transforma em imagens tridimensionais. As tonalidades de cinza em que aparecem as imagens variam conforme a temperatura dos corpos, isso torna diferentes pessoas, armas de fogo e motores de carro, por exemplo.
Através das imagens captadas pela câmera, o policial que coordena as operações pode orientar as equipes em terra. As imagens são transmitidas em tempo real para 5 bases da polícia através de antenas, incluindo a do próprio helicóptero, e cobrem toda a cidade.

Atualmente já existem mais de 1200 horas de gravações sobre o mundo do crime no Rio e isso hoje é fundamental para o planejamento de qualquer operação policial futura.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A hierarquia na PMERJ e no CBMERJ

A hierarquia é a base da organização das instituições militares, a qual compõe a cadeia de comando a ser seguida por todos os integrantes. Na estrutura hierárquica da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, seus diversos níveis são representados por insígnias, usadas sobrepostas aos uniformes conforme demonstrado abaixo.


Matéria formatada pelo Boletim de Ocorrência ®